Patrocinado

SC prorroga campanhas de Multivacinação e Vacinação contra a Poliomielite

SC prorroga campanhas de Multivacinação e Vacinação contra a Poliomielite

Santa Catarina decidiu prorrogar por mais duas semanas as Campanhas de Multivacinação e Vacinação contra a Poliomielite. 

Com a prorrogação, as campanhas vão até o dia 13 de novembro em todos os 295 municípios catarinenses.

 

Nas primeiras três semanas de Campanha, entre os dias 5 e 23 de outubro, foram vacinadas contra a poliomielite 168.825 mil crianças com idade entre 1 e menos de 5 anos.

O objetivo era alcançar um público de 342.825 crianças, ou seja, aproximadamente a metade do total de crianças que deveriam ter sido vacinadas.

 

O Brasil não detecta casos de poliomielite (paralisia infantil) desde 1990 e em 1994 recebeu da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) a Certificação de área livre de circulação do poliovírus selvagem do seu território. 

Em Santa Catarina, os últimos registros da doença foram em 1989. 

 

Campanha de Multivacinação é para crianças e adolescentes

 

A atualização da caderneta de vacinação de crianças e adolescentes com menos de 15 anos também continua até o dia 13 de novembro. 

Neste caso, não há uma meta numérica específica. 

O principal objetivo é conseguir resgatar crianças e jovens que, por algum motivo, deixaram de tomar as doses indicadas no Calendário Básico de Vacinação e, consequentemente, aumentar as coberturas vacinais, diminuir a incidência das doenças imunopreveníveis e contribuir para o controle, eliminação e/ou erradicação dessas doenças.

 

As vacinas que estão sendo oferecidas durante a Campanha são as que fazem parte do Calendário Básico de Vacinação 2020 da Criança e do Adolescente.

 

São elas:

  • Febre amarela

  • Tríplice Viral (sarampo, caxumba e rubéola)

  • dT (difteria e tétano)

  • Meningocócica ACWY (doença meningocócica ACWY)

  • HPV quadrivalente (HPV tipos 6, 11, 16 e 18)

  • Poliomielite

  • BCG (formas graves de tuberculose)

  • Hepatite B

  • Pentavalente (tétano, difteria, coqueluche, Haemophilus influenzae b e hepatite b) 

  • Rotavírus (diarreia por rotavírus)

  • Pneumocócica 10 (doença pneumocócica invasiva para os 10 sorotipos)

  • Meningocócica C (doença meningocócica C)

  • Tetra Viral (sarampo, caxumba, rubéola e varicela)

  • DTP (difteria, tétano e coqueluche)

  • Hepatite A

  • Varicela (catapora)

 

A gerente de imunização da Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (Dive), Lia Quaresma Coimbra, alerta:

 

“A baixa cobertura vacinal é um risco para todos. A vacina ainda é a forma mais segura e eficaz de prevenção de inúmeras doenças”. 

“Através da vacina já conseguimos eliminar do estado doenças como a poliomielite, o sarampo e não queremos que elas retornem, por isso a importância de manter a caderneta de vacinação atualizada”.



Patrocinado