Patrocinado
Série Pacto Global 3: Princípios Universais para o Trabalho

Série Pacto Global 3: Princípios Universais para o Trabalho

Por: Fundação Fritz Müller

Em nossa segunda publicação da Série Pacto Global você conferiu quais são os princípios universais dos Direitos Humanos e os projetos que a FFM participa e realiza em seu benefício. Nesta edição falaremos sobre os princípios para o Trabalho.

Dentro dos 10 Princípios Universais, 4 são voltados ao Trabalho. São eles:

 

3. As empresas devem apoiar a liberdade de associação e o reconhecimento efetivo do direito à negociação coletiva;
4. A eliminação de todas as formas de trabalho forçado ou compulsório;
5. A abolição efetiva do trabalho infantil; e
6. Eliminar a discriminação no emprego.

Crianças e Jovens

Para embasar a necessidade da defesa e prática destes Direitos, vamos começar citando dados das condições de crianças e jovens no Brasil, que já são bastante preocupantes.

Um levantamento realizado pela Fundação Abrinq neste ano de 2016 concluiu que existem 3,3 milhões de crianças e adolescentes (entre 5 e 17 anos) em situação de trabalho infantil no Brasil. Outros pontos que mostram o desequilíbrio socioeconômico em nosso país são que, das crianças entre 0 e 14 anos, 44% vivem em situação de pobreza e 17% em situação de extrema pobreza. E, ainda mais alarmante, é o fato de que quase 19% dos homicídios praticados no Brasil são contra crianças e adolescentes, sendo 80% com arma de fogo.

Discriminação da Mulher

A discriminação contra a mulher viola os princípios da igualdade de direitos e do respeito da dignidade humana, dificulta a participação da mulher, nas mesmas condições que o homem, na vida política, social, econômica e cultural de seu país, constitui um obstáculo ao aumento do bem-estar da sociedade e da família e dificulta o pleno desenvolvimento das potencialidades da mulher para prestar serviço a seu país e à humanidade.

Discriminação Racial

Dados oficiais não deixam dúvidas sobre a existência do racismo no ambiente de trabalho. Muitas empresas com bons salários e benefícios não contratam negros ou, quando o fazem, são para postos menos qualificados e com remunerações mais baixas. Quanto mais nobre o trabalho, menor a representação negra, que é encontrada mais facilmente nos ramos agrícola, da construção civil e de prestação de serviços, segundo o Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (DIEESE).

No ambiente de trabalho, acontecem três formas de discriminação: direta ou manifesta, indireta ou encoberta e a autodiscriminação. As indiretas são as mais presentes e sutis, atuando com práticas e ideias que influenciam comportamentos socialmente aceitos, o que reforça a desigualdade.

Mas por que tudo isso acontece?

Existe uma série de fatores que levam a esta lamentável situação, entre eles estão a falta de instrução e de oportunidades (acesso à escola, programas de educação e treinamentos profissionalizantes); a exclusão social e o preconceito já inseridos na nossa cultura desde o Período Colonial, a falta de atenção dos governos municipais e estaduais a diversas comunidades (principalmente nas regiões Norte e Nordeste), não tendo acesso sequer ao saneamento básico, entre outros motivos.

Para termos chance de solucionar em médio e longo prazo, formando sociedades onde respeito e liberdade estejam em primeiro lugar, precisamos começar pela conscientização e pela proliferação da informação. A partir daí será possível defender, expressar e colocar planos em prática, mobilizando a todos por meio de atitudes contextualizadas e inseridas na cultura da sociedade.

Participe ou crie soluções na sociedade em que vive

A Fundação Fritz Müller defende e apoia os direitos do Trabalho de diversas formas, e sua empresa também pode começar a praticar atitudes por um mundo mais justo e mais digno de se viver. Uma das formas que atuamos é por meio da nossa participação no Projeto Pescar – uma nova forma de ver a sociedade e o mundo que vive, para realmente fazer a diferença na vida das pessoas.

Projeto Pescar

“Se quiseres matar a fome de alguém dá-lhe um peixe. Mas, se quiseres que ele nunca mais passe fome, ensina-o a pescar.” Foi com base neste ensinamento do famoso filósofo e escritor chinês Lao Tsé, que em 1976 surgiu a Fundação Projeto Pescar: um sistema pioneiro de parceria social que busca capacitar jovens para o mercado de trabalho, dando ênfase nos conhecimentos e atitudes comportamentais, desenvolvendo cidadãos mais responsáveis e conscientes de suas oportunidades.

O Projeto também é uma oportunidade para as empresas atuarem no âmbito da Responsabilidade Social, obtendo maior visibilidade com menor investimento. Com a implantação deste projeto, as organizações que compõem a Rede Pescar abrem espaço em suas dependências para atuar no resgate da cidadania e na preparação de jovens para o exercício de uma profissão, promovendo sua inclusão social e tornando-os mais responsáveis com relação ao seu papel no desenvolvimento de uma sociedade mais sustentável.

A empresa recebe jovens de 16 a 19 anos que estão em situação de vulnerabilidade social e que cursam ou já concluíram no ensino médio, para realizar todo o processo de ensinamentos com base em conhecimentos técnicos, cidadania, descoberta do “eu” e relacionamento com a sociedade. Tudo isso envolvendo a empresa franqueada, parceiros, apoiadores, dirigentes, articuladores, educadores sociais, professores e tutores voluntários. No final do período (de 8 a 11 meses) é realizada a formatura e o encaminhamento dos jovens ao mercado de trabalho.

A FFM realiza o Projeto Pescar desde 2011 e, atualmente, conta com a parceria das empresas Havan e Baumgarten. No Brasil, o Projeto é realizado em 98 unidades, contando com mais 28 no exterior.

Acesse AQUI e saiba como fazer parte do Projeto.

Ações internas são uma excelente maneira de começar

Para estimular a conscientização, fazendo com que seus colaboradores emprenhem-se em fazer algo a mais pela sociedade em que vivem, é preciso que, em primeiro lugar, estejam satisfeitos com suas próprias condições de trabalho, afinal, só conseguimos oferecer ao próximo o que recebemos também.

Atualmente, diversas empresas de todos os portes estão implantando a cultura do Endomarketing em sua rotina, que é a união do setor de Marketing com o setor de Recursos Humanos (ou DHO), os quais elaboram gincanas, eventos, palestras, treinamentos, comemorações de resultados, além de ações e mudanças no ambiente de trabalho em prol da valorização, da motivação e da satisfação de seus colaboradores. Como resultado, a empresa recebe a reciprocidade deles quanto ao seu comprometimento e rendimento no trabalho, pois passa a ser um local onde se sentem felizes, acolhidos e compreendidos como indivíduos.

A partir desse resultado, com uma equipe unida e bem estruturada, é possível promover ações externas em prol da sociedade.

Voluntariado

Um exemplo de ação para estimular o ato de fazer o bem ao próximo é o voluntariado interno, que a Fundação Fritz Müller também pratica. Os colaboradores trazem ao trabalho determinados artigos definidos pelo projeto da ação e eles próprios podem ir até determinada comunidade ou instituição fazer a entrega do que foi arrecadado, como material escolar, de higiene pessoal, roupas e calçados, entre muitos outros. O estímulo de uma boa ação gera o incentivo à realização de outra, além de gerar a empatia e a satisfação pessoal em cada participante.

Gincanas

Além do voluntariado, é muito interessante criar gincanas, reunindo os colaboradores em equipes para competir e serem premiados ao final. Esta prática traz resultados incríveis, desde a gratidão das entidades que recebem as doações, até o estímulo do trabalho em equipe em benefício de toda a organização.

Busque soluções simples e que demandam baixo investimento para começar a agir. Afinal, os direitos do Trabalho também compreendem a saúde, o bem-estar, o equilíbrio emocional, a gratidão e todos os sentimentos bons que podem ser extraídos dos seres humanos para estarem mais felizes e realizados em suas atividades profissionais, praticando a igualdade e levando isso como um hábito de vida.

Na próxima edição da Série Pacto Global, vamos falar dos Princípios Universais para o Meio Ambiente. Acompanhe na próxima semana.

Linha Direta

Fundação Fritz Müller
(47) 3057-8001
www.fundacaofritzmuller.com.br

Patrocinado
Patrocinado

Agenda

Show Naked Girls and Aeroplanes

Desenvolvedor Java

Desenvolvedor C#

Patrocinado
Patrocinado