Patrocinado

SC detém 50% das certificações do Programa Bandeira Azul no Brasil

SC detém 50% das certificações do Programa Bandeira Azul no Brasil

Na tarde desta terça-feira, 26, foi realizada a entrega oficial dos certificados do Programa Bandeira Azul para os 10 catarinenses contemplados com o selo na temporada 2019-2020. A Agência de Desenvolvimento do Turismo de Santa Catarina (Santur), por meio do Grupo de Trabalho de Turismo Náutico, realizou a solenidade na Capitania dos Portos, região continental de Florianópolis. Unidade federativa com mais qualificações, o Estado detém 50% das honrarias de todo o Brasil. 

Sete praias, uma lagoa, uma marina e um iate clube do estado receberam o certificado do Júri Internacional do Programa e poderão hastear as bandeiras do selo socioambiental, que garante informação para visitantes, qualidade da água e educação ambiental. Florianópolis, Governador Celso Ramos, Balneário Camboriú, Balneário Piçarras, Bombinhas e São Francisco do Sul são as cidades com locais aprovados.

Com 10 das 20 certificações concedidas em todo Brasil, Santa Catarina demonstra mais uma vez seu diferencial turístico e ambiental. Para a presidente da Santur, Flavia Didomenico, um resultado a ser comemorado e para servir de exemplo: "É uma honra para nosso Estado essa conquista. Desejamos que essa iniciativa seja consolidada e que estimule outros municípios a alcançarem a honraria".

Flavia acredita que a ampliação do selo no Estado reforça a imagem positiva das praias e balneários catarinenses - na temporada 2018/2019 foram nove locais eleitos no estado: “A Bandeira reflete o compromisso cada vez maior dos municípios com a sustentabilidade ambiental e respeito aos usuários neste locais, sejam residentes ou visitantes”, completa.

Caráter transversal

O presidente do Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina (IMA), Venâncio Valdez, destacou o caráter transversal do Programa: "Trata-se de uma iniciativa que une sociedade, economia do turismo e o meio ambiente em prol da educação e de uma gestão ambiental responsável".

A coordenadora nacional do Programa, Leana Bernardi, comenta o diferencial dos locais eleitos: "Ter a bandeira hasteada é um sinal para o usuário de que aquelas praias e equipamentos seguem critérios como a qualidade de água, sinalização adequada, acessibilidade para deficientes, gestão ambiental, saneamento, entre outros". Na América do Sul, além do Brasil, a Colômbia também ingressou no programa, com quatro praias certificadas.

Bandeira Azul

O Programa Bandeira Azul é um selo de caráter socioambiental reconhecido em todo o mundo e que avalia itens como qualidade do mar, cuidados com meio ambiente e ações de sustentabilidade ambiental. O continente europeu detém 70% dos certificados do mundo, com cerca de 4.500 praias, marinas e operadores turísticos. O Programa foi criado pela FEE – Foundation for Environmental Education, uma instituição internacional representantes de vários países. No Brasil, o operador nacional do Programa é o IAR – Instituto Ambientes em Rede. 

O principal objetivo é elevar o grau de participação e conscientização da sociedade e gestores públicos quanto à necessidade de se proteger os ambientes marinho/costeiro e lacustre, incentivando a realização de ações que conduzam à resolução dos problemas existentes na busca da qualidade e proteção ambiental.

 Praia do Estaleiro, em Balneário Camboriú, é uma das certificadas

Certificações de Santa Catarina 2019/2020

- Lagoa do Peri, Florianópolis
- Praia Grande, Governador Celso Ramos
- Praia do Estaleiro, Balneário Camboriú
- Praia do Estaleirinho, Balneário Camboriú
- Praia de Piçarras, Balneário Piçarras
- Praia de Quatro Ilhas, Bombinhas
- Praia de Mariscal, Bombinhas
- Praia da Saudade (Prainha), São Francisco do Sul
- Iate Clube de Santa Catarina – Veleiros da Ilha (Centro), Florianópolis
- Marina Tedesco, Balneário Camboriú 

Júri Internacional

A concessão do selo é definida por uma comissão composta pela FEE; United Nations Environment (UNE); United Nations World Tourism Organization (UNWTO); World Health Organization (WHO); International Union for Conservation of Nature (IUCN); European Union for Coastal Conservation (EUCC ); International Lifesaving Federation (ILS); International Council of Marine Industry Associations (ICOMIA); European Environment Agency (EEA); United Nations Educational, Scientific and Cultural Organization (UNESCO); World Cetacean Alliance (WCA) e European Network for Accessible Tourism (ENAT).



Patrocinado