Patrocinado
Confira como funciona o uso do FGTS para a compra de órteses e próteses

Confira como funciona o uso do FGTS para a compra de órteses e próteses

Conteúdo oferecido por Comunicare Aparelhos Auditivos.
Leia esta e outras notícias sobre saúde e bem estar no Blog da Comunicare.
A Comunicare Aparelhos Auditivos é uma empresa voltada à reabilitação auditiva de excelência. 
Em Blumenau estamos na rua Floriano Peixoto, 433.
Edifício Paul Cézanne, Loja 5, no bairro Jardim Blumenau.
Telefone: (47) 3288-0895.

 

Você sabia que é possível fazer uso do FGTS para compra de órteses e próteses? Mas para isso, é preciso cumprir alguns requisitos muito importantes.

Embora esses acessórios sejam essenciais para ajudar as pessoas portadoras de algum tipo de deficiência, eles ainda são bem onerosos, o que dificulta a aquisição.

O Fundo de Garantia por Tempo de Serviço é um meio eficiente para realizar a compra da órtese e prótese, assim, não é necessário separar uma determinada quantia do salário e comprometer o orçamento para adquiri-los.

O principal objetivo do programa é fazer com que as órteses e próteses sejam acessíveis a todas as pessoas, para que elas possam ter autonomia para realizar suas atividades diárias sem precisar da ajuda de terceiros.

Todos têm direito a ter uma qualidade de vida maior, e é isso que esses equipamentos proporcionam para quem tem alguma deficiência ou mobilidade reduzida.

Neste texto, saiba como usar o FGTS para compra de órteses e próteses, mostrando todos passos que precisam ser cumpridos.

 

Como usar o FGTS para a compra de órteses e próteses?

Em 2018, o presidente da república, Michel Temer, assinou um decreto que autoriza o uso do FGTS para a compra de órteses e próteses.

O decreto considera que aquele trabalhador que sofre algum impedimento de longo prazo (deficiência física ou sensorial), de maneira que impeça a sua participação na sociedade em condições de igualdade com as demais pessoas, tem direito a efetuar o saque do seu fundo para realizar a compra de uma órtese ou prótese.

Essa intenção do Governo tem beneficiado as pessoas que sofrem com qualquer tipo deficiência, pois, assim, eles têm a possibilidade de interagir socialmente sem a necessidade do auxílio de terceiros.

 

Quem pode sacar?

Não são todas as pessoas que têm deficiência física que podem sacar o FGTS para compra de órteses e próteses. Por exemplo, pessoas que têm capacidade visual acima de 30%, portadores de esquizofrenia e indivíduos com lesões temporárias (como um braço quebrado), não podem ter acesso a esse benefício.

Agora, pessoas que têm perda auditiva superior a 50 decibéis, indivíduos paraplégicos ou com imputações permanentes podem se dirigir à Caixa Econômica Federal e solicitar o saque junto com os documentos exigidos.

 

O que é possível comprar?

Outro ponto que merece atenção nesse momento, é saber identificar o que pode ser comprado com o FGTS. Isso é importante para não ter surpresas desagradáveis depois de ter passado pelos demais processos. Sendo assim, a lista é a seguinte:

  • cadeira de rodas

  • aparelhos para ampliação sonora (aparelhos auditivos)

  • óculos para quem tem menos de 30% da capacidade de visão

 

Quais são as exigências?

Para ter acesso a esse benefício, é preciso apresentar laudo médico que comprove a perda auditiva.

Nesse documento deverá conter a classificação de referência utilizada pela OMS (Organização das Nações Unidas) e a prescrição do médico apontando a necessidade da prótese ou órtese para possibilitar a inclusão social e acessibilidade do usuário.

É importante ressaltar que o dinheiro do fundo só é liberado a cada dois anos, sendo assim, se o usuário pretender adquirir uma nova prótese ou órtese, é preciso que esse período se finde para que o recurso possa ser disponibilizado novamente.

 

Documentação necessária

Ter em mãos a documentação correta é fundamental para evitar atrasos no processo de saque do FGTS para compra de órteses e próteses. Embora já tenhamos elencados alguns, a seguir, explicamos detalhadamente o que não pode faltar nesse momento:

  • O paciente precisa comprovar a sua condição física ou sensorial, por meio do laudo de avaliação. Esse documento pode ser emitido pelo profissional que acompanha o tratamento do paciente por meio do site da Caixa, no qual deverá constar o nome da doença e o CID (Código de Classificação Internacional de Doenças) respectivo. Além disso, informações como código da prótese ou órtese, nível e tipo da deficiência e número do CRM também serão exigidos

  • Documento de identificação oficial do trabalhador ou diretor não empregado

  • CTPS (Carteira de Trabalho e Previdência Social) em casos de saque de trabalhador ou, então, a ata de assembleia que deliberou pela nomeação do diretor não empregado. Nesse caso, também será exigida cópia autenticada do Contrato Social

  • Cartão de inscrição do PIS PASEP/NIT ou o cartão do cidadão

Se o médico não tiver acesso à internet no momento do preenchimento do formulário, ele pode ser completado à mão durante o atendimento ao paciente.

Esse formulário pode ser requerido na agência da Caixa Econômica Federal ou, então, você pode baixá-lo em casa mesmo, antes de ir à consulta, pois esse documento também está disponível para download no site do banco.

 

Quais são os valores?

Não existe um padrão determinado para saque. O que a Caixa Econômica Federal leva em consideração nesse momento é o valor total do FGTS e o valor da prótese ou órtese de acordo com a tabela do SUS.

Suponhamos que o beneficiário tenha R$ 10 mil de saldo do FGTS, e o valor da sua prótese ou órtese é de R$ 2 mil.

A caixa somente liberará o valor de R$ 2 mil e o saldo remanescente permanece retido no fundo.

Nesse momento, ter um planejamento financeiro eficiente é muito importante, pois pode acontecer de o usuário preferir uma prótese ou órtese mais moderna, a qual é mais onerosa da estipulada pela tabela do SUS.

Nesse caso, programe-se financeiramente para fazer sua aquisição e não interferir no seu orçamento familiar.

Fazer uso do FGTS para compra de órteses e próteses é uma oportunidade que o paciente tem de melhorar a sua qualidade de vida.

Poder voltar à sua rotina profissional, por exemplo, é algo muito reconfortante. Nesse momento também é preciso que as orientações médicas sejam seguidas para que o tratamento realizado apresente os melhores resultados possíveis.

Que tal ajudar outras pessoas a saberem que é possível usar o FGTS para compra de órteses e próteses? Então compartilhe este texto nas redes sociais e ajude a disseminar esse conhecimento.


Patrocinado