Patrocinado
Transporte público de Blumenau pode ter novas paralisações

Transporte público de Blumenau pode ter novas paralisações

Na manhã desta quarta-feira, dia 4, o transporte coletivo de Blumenau ficou paralisado por quatro horas sem aviso prévio a população.

A paralisação foi resultado de um impasse no acordo da campanha salarial 2018/2019.

A categoria solicita um aumento real, e a empresa oferece apenas o reajuste anual.

O presidente, Pradelino Moreira da Silva, e assessor do Sindetranscol, Ricardo Freitas, estiveram em um coletiva de imprensa na manhã de hoje na sede do Sindetranscol - Sindicato dos Empregados das Empresas Permissionárias do Transporte Coletivo Urbano de Blumenau.

Na ocasião o sindicato afirmou que não existe nenhuma decisão de greve até o momento mas, que podem ocorrer novas paralisações, além disso o assessor do sindicato afirmou que o pedido da categoria é claro: "é necessário um aumento real".

Quando questionado a respeito da falta de aviso do sindicato a respeito da paralisação, Ricardo pediu desculpas e disse que a paralisação surpresa foi uma resposta a falta de respeito da empresa com a categoria.

"Nós sabemos o transtorno causado por uma paralisação, os familiares dos funcionários também utilizam o transporte coletivo. Se tivéssemos avisado ontem a noite criaríamos mais confusão do que informação. Não queremos a paralisação, queremos um condição digna enquanto categoria" ressaltou o assessor.

O próximo passo do sindicato será conversar novamente com os funcionários para que sejam decididas as próximas ações de reivindicação, enquanto isso, o sindicato espera receber uma nova proposta da BluMob, que contemple um aumento real nos salários.

"Se o aumento real não acontecer vamos estar 13 anos sem um aumento em nossos salários, isso não pode acontecer" afirmou o presidente do sindicato.

Outro ponto abordado na coletiva foi a necessidade vista pelo sindicato de alteração na data base da categoria.

"Ou muda, ou muda, mesmo não sendo alterada na legislação ela irá começar antes no próximo ano, vamos forçar essa antecipação" ressaltou o assessor.

Agora, sem previsão para uma nova rodada de negociações, o sindicato pretende avisar as possíveis paralisações com a antecedência que conseguirem.

Patrocinado
Patrocinado