Patrocinado
Prefeito e HSA definem o fim do pacto da Rede de Atenção Psicossocial

Prefeito e HSA definem o fim do pacto da Rede de Atenção Psicossocial

O prefeito Mário Hildebrandt recebeu na segunda-feira, dia 14, os membros da direção do Hospital Santo Antônio (HSA).

Eles conversaram sobre várias questões que envolvem a Prefeitura de Blumenau e a unidade de saúde.

Uma delas é o desinteresse da Fundação, que administra o complexo hospitalar, em renovar do termo de pactuação da Rede de Atenção Psicossocial. 

O acordo foi firmado em junho de 2015 e garante a oferta de dez leitos de internação em saúde mental pelo SUS na unidade.

Os gestores do Hospital Santo Antônio (HSA) alegaram que atualmente a ala que comporta esses leitos não dispõe de área física apropriada.

Com isso, prejudica a qualidade, segurança e humanização do atendimento.

Desta forma, eles decidiram que a unidade continuará prestando o serviço até que haja uma nova negociação e pactuação com outra unidade hospitalar.

Para encontrar a melhor saída, os representantes da Prefeitura de Blumenau participarão de uma reunião no dia 7 de junho com técnicos do Estado para discutir essa situação regionalmente e verificar se algum hospital pode e tem interesse em ofertar esse serviço ao município.

Mário conta que o encontro teve como objetivo buscar convergências e soluções que beneficiem a comunidade:

“Essa reunião serviu para nos unirmos e construirmos um caminho a fim de garantir o atendimento à população. Não há rupturas entre a Prefeitura e o Hospital Santo Antônio. Pelo contrário, a preocupação de ambos os lados é a mesma: oferecer serviços de qualidade para a saúde dos cidadãos”.

Além do prefeito, o chefe de Gabinete, César Botelho, e a secretária de Promoção da Saúde, Maria Regina Soar, também estavam representando a Prefeitura.

O Hospital Santo Antônio foi representado pelo presidente do Conselho Curador, João Wolfgang Rausch, a gerente geral, Izabel Cristina Casarin, e o tesoureiro, Sérgio Pintareli.

Patrocinado
Patrocinado